quinta-feira, 27 de outubro de 2016

Saudécia I

Não consigo enxergar nada. A última pesada porta de metal resistente foi fechada. Aguardo agora o retorno daquela bomba de energia, que me destruirá e todos os meus planos de governar Saudécia. Todos os meus súditos serão escravizados ou mortos. Não haverá mais menção de meu nome.
Está muito escuro aqui. Posso gritar. Ninguém ouve. Estou numa cápsula? Onde estou? Não posso acreditar que este será meu fim.
Sei que existe uma bomba preparada para mim, vi a ocupação total das planícies de Saudécia, por aqueles mascarados gigantes. Não houve resistência. Não faz sentido. Saudécia seria melhor que mundos em galáxias distantes. E nunca falei em genocídio.
Agora nesses segundos no escuro, gritar é em vão. Assim como pensar no sentido de tudo.
-Quem são vocês? - ouso questionar.
Eu era tão forte, e agora estou prestes a ser decomposta em milhões de pedaços.
Chega o momento, o chão se abre praquilo que chamarei de buraco negro. Um zumbido incrivelmente alto estoura meus tímpanos. Vejo uma luz e meu corpo se transforma em energia.

Acordo assustada. Estou de cabeça pra baixo. Saudécia em alvoroço. Dia de coroação.
Tudo ao contrário. Ninguém percebe. O direito, esquerdo. O esquerdo, direito. Estou andando para trás.
-Onde estou?

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Universo paralelo

Quando em  universo paralelo os sonhos começassem a observar a realidade e quisessem usurpá-la.
Quando eles decidissem saltar de dentro dos subconscientes e se materializar para uma realidade nova, uma utopia deles.
Eu nunca mais dormiria para não libertar meus pesadelos.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Eu vejo beleza naquilo que floresce e murcha tão rapidamente, como se aquele infinito de contemplação me abduzisse e eu, lentamente, morresse em um universo meu, sem gravidade, sem chão.

segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Eu poderia tentar mais uma vez.
E mais uma.
E outra.
Continuar tentando.
Mesmo cansada.
Tentar só mais uma vez.
Morrer, depois.

sexta-feira, 14 de outubro de 2016

Cadê o final feliz?
O eterno e o para sempre, para onde foram?
Um. Ou outro.
Eterna busca de sentido. Eterna frustração, momentos raros de felicidade. Paz. O um.
Ou um finito êxtase. Um dia feliz, o extremo, o ápice, o último. O final feliz. O final. O fim. O outro.
Um. Ou outro.

quinta-feira, 6 de outubro de 2016

- E o que você quer fazer com essa realidade?
- Eu ainda não sei.
- Então, deixa tudo como está.
- Não posso. Já é real... Já está aqui.