segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

O cara que some sou eu

Um ano.

Um ano de ausência.

Eu retorno como se nunca tivesse ido. Falo hey!

Aceno com a cabeça e está tudo ótimo.

Apenas o fato de que:

Eu saí, esqueci de você e você...

... sentiu minha falta

... me ligou incessantemente (eu não atendi, óbvio)

... chorou por mim

... começou a conversar com outros caras

... saiu com outros caras

... conheceu muita gente

... se lembrou de mim

... se esqueceu

... se lembrou de novo quando eu te mandei aquele sms com apenas a palavra "saudade"

... sofreu com a lembrança

... pensou que me traía quando correspondia aos olhares, quando se sentia amada, querida, você se culpava

... teve esperanças renovadas que murcharam muito rápido

... mandou milhares de e-mails e sms e se negou até o último momento a aceitar a minha 'morte'

... me esqueceu, se livrou de mim, das minhas loucuras

Agora você dorme a noite toda, tem sonhos. Não me espera mais.

Mas ontem eu apareci, disse "hey" e sei que para você tudo mudou. Uma nova ilusão a caminho?

O que acha de eu ser o tudo para você de novo? E quando você acreditar que a vida não puder ser mais bela e colorida, eu tomar um Rivotril e sumir para sempre em meu sono? Eu desaparecerei... mas você já está avisada.